Segunda-feira, Novembro 29

Rafael Foresti Pego empossado como o novo procurador-chefe do MPT-RS

Novo chefe da PRT-4 assinou simbolicamente o termo de posse durante reunião de procuradores-chefes em Brasília

Rafael Foresti Pego tomou posse na tarde desta segunda-feira (04/10) como o novo procurador-chefe do MPT-RS para o biênio 2021/2023. Ele assinou simbolicamente o termo de posse durante reunião ordinária do Colégio das Procuradoras-chefes e Procuradores-chefes do MPT, realizada em Brasília e presidida pelo procurador-geral do Trabalho José de Lima Ramos Pereira.

Na cerimônia, restrita apenas aos procuradores e transmitida online para as demais unidades, foram empossados os procuradores-chefes de todas as 24 regionais do MPT. A solenidade ocorreu na sala master da Procuradoria Geral do Trabalho, adaptada para realização de reuniões e audiências presenciais respeitando as normas de distanciamento social com barreiras de proteção entre os participantes, além do uso obrigatório de máscaras.

CONHEÇA A NOVA CHEFIA DO MPT-RS:
Rafael Foresti Pego é natural de Porto Alegre e tem 39 anos. Formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RS). É mestre em Direito pela PUCRS e mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Sevilha, e doutorando pela Universidade Complutense de Madrid. Atuou como advogado na área trabalhista e como professor universitário antes de ingressar no MPT, em 2014.

Lourenço Agostini de Andrade é natural de Porto Alegre e tem 55 anos. Formou-se em 1988 na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e é especialista em Direito Ambiental pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). É membro do MPT desde 1993 e desde 2016 atua no Núcleo de Recursos do MPT junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT4).

Alexandre Marin Ragagnin é natural de Santa Maria e tem 41 anos. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atuou como advogado na área trabalhista antes de ingressar no MPT, em 2010. Oficiou na PTM de Araguaína-TO (2010-2013), Pelotas (2013 – 2018) e Santa Maria (desde 2018).

Foto: Rafael Foresti Pego (E) assina o termo simbólico em Brasília, ao lado do procurador-geral do Trabalho José de Lima Ramos Pereira. Crédito: Ascom – PGT

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *