Terça-feira, Maio 11

Comunidade indígena de Planalto realiza manifestação em prol de melhorias no abastecimento de água

A comunidade indígena Pinhalzinho, de Planalto, iniciou na manhã desta quinta-feira (22), um protesto para cobrar melhorias no abastecimento de água da aldeia. Segundo o chefe da comunidade, Luiz Jacinto, o problema é uma demanda antiga, que se intensificou com a estiagem dos últimos anos. “Isso vem de vários anos e como liderança, eu nasci e me criei aqui, sabemos das dificuldades que temos, então a comunidade está com um problema sério, têm crianças que estão tomando água ‘choca’. Por isso, eles estão fazendo esse protesto em favor do direito deles”, explica Jacinto.

A manifestação começou por volta das 8 horas, com o desligamento dos motores na barragem da Corsan no rio do Mel, que está localizada na área indígena. “Com isso, além da própria aldeia, as cidades de Planalto e Alpestre também ficarão sem abastecimento até a noite. Na localidade de Santa Cruz e aqui mesmo na aldeia o reestabelecimento levará de três a quatro dias para voltar e Alpestre em até um dia”, afirma o gerente-substituto da Corsan de Planalto Rodrigo Valdemarca.

Encontro com o prefeito e Corsan

Na tarde desta quinta-feira (22), lideranças indígenas marcaram um encontro com o prefeito, Cristiano Gnoatto. A reunião ocorreu nas imediações da comunidade Pinhalzinho. Além do prefeito, também participou o secretário de Administração, Protazio Malacarne e o gerente-substituto da Corsan. A equipe da Força Tática do 37º Batalhão de Polícia Militar (37ºBPM) também esteve presente no local.

Na ocasião, os indígenas reivindicaram apoio da administração municipal para ajudar a resolver o problema da comunidade. “Temos uma caixa d’água de 60 mil litros só que a água levada não é o suficiente para todas as famílias. Somos em 1.270 indígenas. Temos todo o encanamento da rede de água da Corsan, mas falta cerca dois quilômetros para levar essa água do cano principal até a nossa caixa. É isso que estamos pedindo também, para que o município nos ajude junto a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai)”, ressalta Jacinto.

Segundo o prefeito, a administração municipal será parceiro da comunidade nesta causa. “Nós como gestores do município somos parceiros dos indígenas. Estamos passando pela questão da estiagem, inclusive com decreto de situação de emergência homologado. Além disso, estamos abastecendo a aldeia com dois caminhões, sendo um que contratamos de forma terceirizada para esse fim, mais um caminhão da própria Sesai”, comenta o prefeito.

 Desabastecimento de água continuará no mínimo até a sexta-feira

Uma nova reunião entre a administração municipal, lideranças indígenas, Corsan e Sesai está programada para ocorrer de forma virtual, nesta sexta-feira (23), às 9 horas. Até então, o abastecimento de água não será reestabelecido.

Fonte: O Alto Uruguai

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *