Segunda-feira, Agosto 10

PUCRS abre na próxima semana, seleção de agentes de saúde para testar vacina contra Covid

A partir da próxima semana, o Hospital São Lucas da PUCRS abre o processo seletivo de voluntários para testar a vacina chinesa Coronavac em Porto Alegre. O espaço destinado ao estudo está preparado, no Centro de Pesquisa Clínica do complexo hospitalar, para o início das atividades. Aproximadamente 800 agentes da saúde poderão se inscrever. O recrutamento de voluntários vai começar a partir de um link específico de inscrição, a ser divulgado no portal da PUCRS.

“Com as informações e diretrizes do Instituto Butantan, estamos preparando as nossas equipes para organizar as próximas etapas e procedimentos, com intuito de iniciar o processo de testagem assim que possível”, destacou o médico infectologista Fabiano Ramos, líder do estudo e chefe do Serviço de Infectologia da instituição.

Para participar da pesquisa, os voluntários devem ser profissionais da saúde e maiores de 18 anos, além de estar atuando na assistência de casos da Covid e não ter contraído a doença. Não poderão participar do estudo mulheres gestantes ou que estejam amamentando, bem como as que manifestem o desejo de engravidar durante os próximos três meses. Também foram previamente excluídas pessoas que possuam doenças crônicas sem devido controle, assim como doenças ou uso de medicações que comprometam o sistema imunológico.

Nesta sexta-feira, o Hospital São Lucas formalizou o contrato para testagem da CoronaVac, oficializando a unidade hospitalar como um dos 12 centros, de seis estados do país, que farão os testes clínicos da vacina. Ao todo, serão nove mil voluntários em todo o Brasil.

O centro da PUCRS é especializado na condução de ensaios clínicos utilizados para validar a eficácia e segurança de novos fármacos, medicamentos, vacinas e testes antes que cheguem ao mercado. Atualmente, o complexo soma mais de 200 estudos em andamento. O hospital ainda aguarda os desdobramentos e orientações do Instituto Butantan para realização das testagens da vacina.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já autorizou o processo, que vai começar em 20 de julho em alguns locais do país. Em dois meses, a PUCRS pretende vacinar todas as pessoas participantes do estudo. Conforme protocolo, metade dos voluntários vai receber a vacina e a outra um placebo, uma mistura sem efeito.

O Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, começou a adaptar uma fábrica para a produção da vacina. A capacidade de produção é de até 100 milhões de doses. Se a dose for efetiva, o Instituto Butantan vai receber da Sinovac, até o fim do ano, 60 milhões de unidades para distribuição. (Correio do Povo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *