Quarta-feira, Agosto 12

Vigilância Sanitária de Seberi divulga Circular sobre alimentação X Coronavírus

Nessa fase de Covid-19, é grande o número de pessoas que ficam na dúvida sobre a transmissão do vírus através de alimentos.

Pensando em solucionar essas dúvidas a Vigilância Sanitária Municipal  de Seberi emitiu uma Circular com as informações de que não há nenhuma evidencia de que o novo Coronarívus possa ser transmitido por alimentos. Sabe-se que dentre outras maneiras de desinfecção e higienização para o combate à proliferação do vírus, os mesmos também se mostraram sensíveis a temperaturas utilizadas no cozimento dos alimentos (em torno de 70°C).

Confira a Circular na íntegra.

Circular informativa VISA 02/2020                                                        Seberi, 27 de março de 2020. 

Prezados (as), Devido a grande procura de informações quanto ao uso de alguns EPIs em serviços de alimentação, seguem informações segundo Nota Técnica N°15/2020- ANVISA: Conforme noticia divulgada pela ANVISA em seu portal no dia 21/03/2020, não há nenhuma evidencia de que o novo Coronarívus possa ser transmitido por alimentos. Sabe-se que dentre outras maneiras de desinfecção e higienização para o combate à proliferação do vírus, os mesmos também se mostraram sensíveis a temperaturas utilizadas no cozimento dos alimentos (em torno de 70°C). Uma das estratégias mais importantes e já amplamente divulgadas em nosso meio para evitar a contaminação e disseminação do vírus é redobrar os cuidados com a higiene focando principalmente, dentre outros, na lavagem correta e frequente das mãos. O uso de luvas na produção e manipulação de alimentos é regulamentada pela RDC 216/2004, porém o uso das mesmas não é uma exigência e não isenta o manipulador da lavagem das mãos. Quando se usa luvas, um erro comum é não trocar as mesmas com a frequência que se deveria, fazendo delas um fator de risco. Via de regra, por não ser de uso obrigatório, as autoridades sanitárias somente recomendam o uso de luvas em atividades muito especificas, como a manipulação de alimentos prontos para consumo em substituição a utensilio (como pegadores). O uso de máscaras por sua vez não é citada em regulamentos e também não é obrigatória. Deve-se atentar as recomendações do Ministério da Saúde de que este tipo de proteção não deve ser usado por pessoas saudáveis, até para que a mascara não falte onde ela realmente é necessária, como nos serviços de saúde e em caso de isolamento até mesmo domiciliar no caso de suspeita ou confirmação de infecção. Assim, a prática ideal nos estabelecimentos de alimentos é lavar as mãos corretamente e frequentemente, não havendo previsão legal para exigir o uso de luvas e máscaras pelos manipuladores de alimentos. Lembrando que a qualquer sintoma apresentado pelo manipulador, relacionado neste caso a sintomas gripais, podendo ou não ser causado pelo COVID-19, este deve ser afastado da atividade imediatamente e seguir os protocolos locais de prevenção e isolamento. Lembrando que estas informações valem para todos os estabelecimentos que produzem alimentos, porém não podemos isentar a população em geral destas informações sendo que o uso indiscriminado dos EPIs, principalmente luvas e máscaras descartáveis, por pessoas saudáveis pode gerar uma escassez nos locais em que realmente são necessários como nos serviços de saúde. Vamos fazer a nossa parte. Qualquer dúvida, denúncia e informação pode-se entrar em contato com o setor de Vigilância Sanitária municipal pelos fones: 37461214 ou 55-997231769. (Tissiara da Costa Fiscal da Vigilância Sanitária Municipal )

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *