Vigília lembra um ano do desaparecimento da contadora Sandra

Ontem, 30 de janeiro, completou um ano desde o desaparecimento de Sandra Mara Lovis Trentin, 48 anos, e para marcar a data, moradores de Boa Vista das Missões, a mãe Ilda, os filhos, demais familiares e amigos da contadora organizaram uma vigília às margens da BR-386, nas proximidades do quilometro 71.

No local, foi instalado um novo outdoor com a foto de Sandra e pedidos de justiça. A manifestação se estendeu até a noite. “Hoje o nosso município é conhecido em todo o país por essa história triste da Sandra. Mantivemos um laço de amizade por muitos anos com a Sandra, a nossa comunidade está chocada e tínhamos esperança de que ela estivesse viva, mas agora chegamos a esse desfecho lamentável. Eu tenho certeza que o Judiciário vai buscar o culpado precisamos saber o que aconteceu com ela. A nossa busca é por justiça!”, declarou o prefeito Carlos Bueno, 44 anos, que conviveu com Sandra por mais de 25 anos.

No início do ato, o trânsito chegou a ser interrompido duas vezes pelos manifestantes aos gritos de “justiça” e “não ao feminicídio”. Houve, ainda, distribuição de panfletos.

Na última semana, o Instituto-Geral de Perícias confirmou que a ossada encontrada entre Palmeira das Missões e Condor se tratava mesmo dos restos mortais de Sandra. A família aguarda agora se vão a júri popular os réus Ismael Bonetto, que segue preso, e o marido de Sandra, Paulo Ivan Landfeldt, que foi solto ainda em 2018.

O vereador Lúcio Rocha Landfeldt (PSB) foi para a vigília com a família, realçou que o seu pedido também é por justiça. “A Sandra merece esse momento por tudo o que ela representou para o município. A gente não tá aqui para condenar ninguém, nós buscamos justiça. Quem fez tem que pagar”, disse.

À noite ainda ocorreu um culto ecumênico em memória a Sandra.

 

 

 

*Heloise Santi/Folha do Noroeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *