Associação pressiona Estado para a liberação de recursos para socorrer hospitais

As dificuldades que estão sendo enfrentadas por hospitais, principalmente pela falta de repasses de recursos do governo do Estado, tem agravado a crise enfrentada por eles. No decorrer da semana a secretaria de Estado da Fazenda informou que o Rio Grande do Sul está há cerca de três meses em atraso com os nosocômios, totalizando cerca de 200 milhões de reais em passivos. Um dos exemplos claros da precariedade em que a saúde pública se encontra em péssimas condições, é o caso do Hospital de Caridade de Três Passos, na região noroeste. A situação é tão crítica que a comunidade precisou se unir para arrecadar alimentos não perecíveis para os pacientes que estão internados.

Diante de tamanho caos, o presidente da Amzop – Associação dos Municípios da Zona da Produção, prefeito de Liberato Salzano Gilson De Carli, entregou ofício endereçado ao secretário adjunto da Fazenda do Estado, Álvaro Fakredin, para a liberação de ao menos parte dos valores devidos aos hospitais, para que consigam manterem as portas abertas, oferecendo um mínimo de atendimento digno aos seus pacientes. Inclusive, o gestor esteve em Porto Alegre na terça-feira, 11, buscando articular a liberação de parte dos valores devidos.

A expectativa do presidente da Amzop, é que os recursos possam ser liberados o mais rápido possível, para que os hospitais, principalmente os de pequeno porte, possam continuar atendendo os seus pacientes. “Se o governo não liberar alguns recursos, provavelmente haverá alguns cortes, pois os municípios não vão conseguir aguentar” destacou De Carli. Praticamente todos os hospitais que pertencem à Zona da Produção, da qual fazem parte 43 municípios, estão sofrendo com a falta desses repasses.

 

 

 

*Assessoria de Imprensa AMZOP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *