Sábado, Fevereiro 27

Município de Chapada deverá receber famílias de imigrantes venezuelanos

O município de Chapada, no Norte do Rio Grande do Sul e longe 330km da Capital do estado, foi o primeiro município que se ofereceu para abrigar refugiados venezuelanos que imigraram no país, segundo a Casa Civil. A decisão foi tomada após o prefeito Carlos Catto acompanhar a situação no país vizinho e se comover “por ver as pessoas deixando tudo para trás, e buscando abrigo em outros lugares para fugir da situação que se instaurou na Venezuela”, segundo o próprio Catto, em entrevista ao jornalismo de nossa emissora na manhã desta quinta-feira, 6.

“Como cristãos e por uma questão de humanidade, não estávamos na zona de conforto vendo crianças dormindo no relento, nas calçadas e passando dificuldades. Essas pessoas merecem um recomeço, e por isso demos preferência para virem famílias para Chapada, para que sejam alocadas e tenham um recomeço, passando por uma Escola e indo para o mercado de trabalho, seja no comércio ou no meio rural, conforme as qualificações de cada um. Vamos buscar dar oportunidades nisso também”, completou o prefeito chapadense.

A chegada de cerca de 50 venezuelanos no município está prevista para o dia 25 de setembro, segundo Catto, os imigrantes “são futuros chapadenses”. O prefeito destaca ainda que esse apoio humanitário terá auxílio de entidades como a ONU e outras entidades e ONGs, que estão auxiliando no preparo das estruturas para receber essas pessoas.  Além disso,o o governo comenta que o município ainda terá apoio do governo, através de verbas para atender essas pessoas em Chapada.

O prefeito acredita que os venezuelanos serão bem acolhidos na comunidade chapadense, e agora estão aguardando o dia 25 de setembro, que é a data prevista para a chegada das famílias,  transportadas pela Força Aérea Brasileira (FAB) e pelo Exército. A Casa Civil do governo federal confirma a informação, mas salienta que a data pode ser modificada de acordo com a agenda da FAB.

Além de Chapada, Esteio e Canoas, também receberão imigrantes venezuelanos nos próximos dias. São 221 em Esteio, e 425, em Canoas. O prefeito de Chapada ainda mencionou que essas pessoas já virão com todos os documentos e vacinação regulares para viver no Brasil, pois isso foi organizado pelo Governo Federal e pela ONU antes de reencaminhar essas pessoas para interiorização.

“Nos colocamos na situação desses venezuelanos porque, assim como aconteceu com nossos antepassados, que vieram da Europa em busca de recomeço, o mesmo está acontecendo com essas pessoas”, completou Carlos Catto.

Confira a entrevista na íntegra:

Marina Bonez/Depto. Jornalismo Rádio Seberi

*Entrevista: Gilvan Vargas/ Depto. Jornalismo Rádio Seberi

*Imagem: Reprodução Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *