Domingo, Fevereiro 28

Cássio receberá valor para seis meses de tratamento

Após não cumprir com a determinação da Justiça de fornecer o tratamento “home care” a Cássio Fernando da Silva, dentro do prazo estabelecido, o Ipergs deveria pagar uma multa de R$ 2 mil por dia à família do jovem. No entanto, por decisão do juiz Alejandro César Rayo Werlang, levando em consideração a urgência do caso, R$ 198.038,58 – valor suficiente para seis meses de tratamento de saúde – foram bloqueados da conta do instituto.

A partir da ação da Justiça, a família de Cassio deve receber o alvará junto à agência do Banrisul de Vicente Dutra e adquirir os serviços listados no atestado médico do jovem. Além disso, deverá prestar contas judicialmente, de 30 em 30 dias – a contar do recebimento do alvará –, especificando os valores levantados e o preço pago por cada serviço.

 

 

Conheça a história de Cássio:

Há seis anos, Cássio foi diagnosticado com uma doença degenerativa que atinge todos os músculos do corpo. Com isso, aos poucos, o jovem foi perdendo os movimentos e tendo dificuldades para realizar até as tarefas mais simples do cotidiano. Desde 2015, quando conheceu o neurologista Beny Schmidt, Cássio passou a lutar contra os sintomas – que segundo o médico não são de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), como diagnosticado inicialmente –, em São Paulo. No entanto, a família de Cássio não tem condições financeiras para dar sequência ao tratamento e há dois anos está buscando na Justiça que o plano de saúde cubra com os custos.

 

 

*Letícia Waldow/O Alto Uruguai

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *