Responsáveis por jazigos precisam registrar ocorrência em casos de furtos em cemitérios

Pessoas que tenham dado falta em objetos e itens de jazigos de parentes em cemitérios devem registrar ocorrência junto à Polícia Civil, a fim de que seja apurado eventual crime de furto. Em dois anos, já se tem notícia de casos em pelo menos 12 municípios da região: Taquaruçu do Sul, Rodeio Bonito, Pinhal, Boa Vista das Missões, Seberi, Planalto, Ametista do Sul, Vista Alegre, Iraí, Erval Seco, Caiçara e Frederico Westphalen. Neste último, a Secretaria de Obras contabilizou a falta de 2 mil argolas de jazigos desde abril deste ano. O interesse maior dos ladrões está nos puxadores das gavetas dos túmulos, geralmente fabricados em cobre, embora cruzes e molduras de fotografias dos mortos também entrem na lista. Somente para uma família, o prejuízo aproximado foi de R$ 330 com o sumiço de três pares de argolas.

Na noite da última quarta-feira, 4 de julho, a Polícia Civil de Jaboticaba foi até o cemitério de Boa Vista das Missões, após receber informação de que haveria pessoas com lanternas em atitude suspeita. Quando a corporação chegou para averiguar, elas já haviam partido. Como até o momento ninguém reclamou a falta de bens, não foi registrado ocorrência porque não há crime, explicou um agente.

 

 

 

*Cristiane Luza/Folha do Noroeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *