Domingo, Novembro 29

Prefeito investigado por assédio sexual pode ser cassado

A Câmara de Vereadores de Não-Me-Toque, no Norte do Rio Grande do Sul, deu início a uma comissão processante contra o prefeito da cidade, Armando Carlos Roos (PP), que é investigado por suspeita de assédio sexual. Ao final do processo, Roos pode ter o mandato cassado.

“Pode haver a cassação imediata se o plenário acatar um possível parecer da comissão. Se for contrário ao prefeito municipal, pode gerar essa cassação”, explica o relator da comissão, vereador Alberto Maurer (PDT).

Há mais de um mês, o prefeito já era investigado por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). O objetivo era reunir documentos para apresentar ao Ministério Público (MP) ou abrir uma comissão processante para julgar Roos. Na semana passada, servidoras que denunciaram o suposto assédio apresentaram um relatório à Câmara de Vereadores.

 

 

*Com informações do G1 RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *