Domingo, Novembro 29

Policia Federal e Lula negociam termos de rendição

Dois emissários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) negociam com a Polícia Federal (PF) os termos de rendição para que o petista seja preso. Ainda não há uma decisão sobre como será o procedimento a ser adotado.

Os advogados do petista teriam informado à cúpula da Segurança Pública que o ex-presidente pretende se entregar em São Paulo, após a realização de missa em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia, marcada para hoje.

O canal de comunicação entre a defesa de Lula e a PF, uma das exigências do despacho do juiz Sergio Moro, foi aberto no final da tarde de quinta-feira, 5. Pela Polícia Federal, quem negocia é o delegado Igor Romário de Paulo, chefe da Operação Lava-Jato em Curitiba, no Paraná.

O ex-presidente tinha até as 17h desta sexta-feira, 6, para se entregar após a expedição do mandado de prisão no processo do tríplex. O caso rendeu a ele uma condenação de 12 anos e um mês de reclusão.

A PF não realiza prisões após as 18h. No entanto, agentes disseram que, caso o ex-presidente resolva se entregar, é possível recebê-lo em São Paulo para depois fazer sua remoção a Curitiba.

O avião da PF já se encontra no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Congonhas. Na sexta-feira, as duas partes se falaram após o término do prazo dado por Moro. Em um primeiro momento, os interlocutores de Lula afirmaram que o petista estava à disposição da PF, mas que ele não iria se entregar.

A posição inicial do petista era de que a PF teria que buscá-lo no lendário Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde fez carreira. Entretanto, uma fonte da PF afirmou que a sinalização dos interlocutores de Lula era de que se entregaria. Isso ocorreria dentro do “tempo” dele.

Um petista que está no sindicato dos metalúrgicos com o ex-presidente também comentou que Lula irá se entregar e que os últimos detalhes estão sendo ajustados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *