Sábado, Dezembro 5

LIBERATO SALZANO – MUNICÍPIO SE PREPARA PARA MAIOR SAFRA DA HISTÓRIA DA CIDADE

O Município de Liberato Salzano situa-se no Norte do Estado do Rio Grande do Sul, na Região do Alto Uruguai, a 400m acima do nível do mar. Apresenta uma área de 311 Km2 com uma topografia bastante acidentada e pouco variável. O Município conta com riquíssimo Parque Florestal, onde se encontra madeira nativa e de lei. Com aproximadamente 6000 habitantes, sendo destes, 78% habitando no meio rural, tendo a agricultura como a principal atividade econômica do município.

O município é conhecido como “A Terra da Diversificação”, pois várias culturas são exploradas; tais como: Fumicultura; Bovinocultura de Leite; Suinocultura; Milho; Soja; Feijão; Hortifrutigranjeiros; Avicultura, dentre as quais, destaca-se a citricultura.

Desde 2011, o município conta com uma indústria de sucos, sendo que no último ano processou cerca de 19,5 mil toneladas de laranjas. Grande parte dessa produção é destinada para a exportação. Após a última safra, a empresa ISAU (Indústria de Sucos do Alto Uruguai) passou por modernizações, elevando sua capacidade de processamento para mais de 60 mil toneladas de laranjas, possibilitando aos produtores da região do Alto Uruguai, a oportunidade de comercializar de forma mais segura, diminuindo o custo de transporte e garantindo maior agilidade no processamento.

Na safra de 2017, o município de Liberato Salzano contava com 1200 hectares plantados e produzindo para a próxima colheita. Também se visa à implantação de mais 350 hectares, sendo que 80 destes, já estão plantados e prontos para produzir, considerando que o município se prepara para a maior safra de sua história, alcançando a produção de aproximadamente 30 milhões de kg de laranjas, uma elevação de 50% em relação à colheita do ano passado.

No total, Liberato Salzano conta com mais de 400 produtores de frutas em geral. Para o chefe do Poder Executivo, Prefeito Gilson de Carli, a fruticultura é uma alternativa entre as atividades. Os produtores não ficam dependentes de apenas uma ou duas atividades. Ocupam a mão de obra dos munícipes, gerando mais de 500 empregos diretos, melhoram a qualidade da alimentação e o poder aquisitivo. Hoje, quem possui uma propriedade diversificada tem uma renda garantida e um padrão de vida melhor, diz ele.

DiárioRS

 

citricultura

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *