MP recorre da decisão que substituiu prisão do marido

Na última segunda-feira, 2 de julho, o promotor de Justiça Marcos Eduardo Rauber ingressou com recurso da decisão judicial que resultou na soltura do marido da contadora Sandra Mara Lovis Trentin, o vereador Paulo Ivan Batista Landfeldt.

O Ministério Público sustenta que o réu deveria permanecer na cadeia a fim de evitar medo entre testemunhas e informantes, eventual fuga do acusado ou destruição de provas, já que ainda existe inquérito policial em andamento a fim de investigar a participação de mais pessoas na morte da mulher. “É importante esclarecer que ele estar solto não significa juízo antecipado de absolvição. A decisão do Judiciário é referente à prisão preventiva”, explicou Rauber. As defesas contestam o homicídio, postulando que como não foi localizado cadáver, o assassinato não está comprovado.

O juiz de Direito João Garcez de Moraes Neto decidiu substituir a prisão por outras medidas cautelares, como não poder se ausentar da cidade sem comunicar à Justiça, avisar mudança de endereço e proibição de se aproximar ou manter contato com testemunhas. No entendimento do magistrado, o acusado não oferece risco à coletividade, diferentemente do réu Ismael Bonetto, que ao ser preso, confessou ter recebido dinheiro para matar a contadora e ocultar seu corpo, mas mudou de versão posteriormente, dizendo que só tentou extorquir a família depois de ouvir falar sobre o caso.

A próxima audiência em que serão ouvidas testemunhas está marcada para 20 de julho.

 

 

*Cristiane Luza/Folha do Noroeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *