O presidente Michel Temer, num tom mais duro, fez um breve pronunciamento no começo da tarde desta sexta-feira onde anunciou um plano de segurança nacional com as forças federais para a desobstrução das estradas e garantir o abastecimento de produtos em todo o país.

“Quero anunciar um plano de segurança imediato para acionar as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fique sem os gêneros de primeira necessidade, que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas e crianças fiquem sem escolas. Quem bloqueia estradas de maneira radical será responsabilizado. O governo teve a coragem de dialogar, agora terá coragem de usar sua autoridade em defesa do povo brasileiro.”

O presidente iniciou seu discurso elencando os pontos acordados entre governo e caminhoneiros na reunião da última quinta-feira à noite. “Eles pediram uma redução do preço do óleo diesel. Pediram estabilidade no preço. Nós acordamos estabilidade do preço a cada trinta dias”. Temer prosseguiu: “Pediram a eliminação da Cide; zeramos a Cide”. Enfático, o chefe do País, destacou que a categoria pediu a garantia do transporte de parte das cargas  “Nós asseguramos ao encaminhamento ao Congresso de uma MP que dê aos autônomos 30% das cargas da Conap.”

Ele destacou que diante disso a categoria se comprometeu a encerrar a greve imediatamente. Porém, nesta sexta-feira o cenário de bloqueios, protestos e desabastecimento seguia em boa parte do Brasil. “Infelizmente, uma minoria radical tem impedido o transporte de cargas e causando desabastecimento de cidades.

Usando outra vez palavras mais duras, Temer afirmou que quem bloqueia estradas e age de maneira radical, será responsabilizado.

 

*Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *